#FizSozinha 3 – Morar sozinha

Morar sozinha é um sonho, não vou mentir para você, não. Morei muito, muito pouco tempo sozinha (duas semanas completamente sozinha, dois meses com uma roommate que eu quase nunca encontrava), mas já deu pra ter uma ideia das dores e delícias que esse conceito traz. (Spoiler: As delícias ganham)

No começo, morar sozinha é algo que afeta muito mais a família do que você mesma. Pelo menos comigo foi assim. Minha mãe passou por várias fases até aceitar esse fato.

Fase 1: drama – “Você quer morar sozinha por quê, não gosta mais da gente?”.

Fase 2: descrédito e desestímulo – “Ah, você quer morar sozinha? Vai começar a lavar roupa então, é? Hmm, sei”.

Fase 3: preocupações reais (ainda com uma pitada de antipatia) – “Mas você vai ter dinheiro para pagar? Mas é seguro?”

Fase 4: melancolia e uma certa chantagem emocional – “Ai, filha, como eu vou ficar aqui sozinha sem você?” (detalhe que minha mãe não mora sozinha. Tem meu pai, minha avó e minha gata pra fazer companhia)

Se você tem uma família legal, carinhosa, que te deu boas bases para a vida, passar pelos obstáculos familiares é meio chato, mas um grande passo em direção à importante independência. Se a minha mãe sobreviveu – e até se animou com a ideia – a sua sobrevive também.

O segundo passo, depois da decisão, é de fato ter os recursos para ir morar sozinha. A decisão já existia na minha cabeça há muitos anos, mas a concretização só veio depois de eu ganhar meu dinheiro, juntar meu dinheiro e planejar tudo muito bem.

Porque, além de aluguel, luz, água, etc, se você se muda para um lugar ainda não mobiliado, pode sentar (no chão) e chorar. Os gastos não são poucos e parecem não acabar nunca. Você vai passar a ler matérias sobre “como aproveitar bem espaços pequenos”, “dicas para organizar sua rotina de faxina”, “dez itens que vão mudar sua cozinha”.

Tudo isso para tentar facilitar a vida. Porque a vida de quem mora sozinha, ela não é fácil. As visitas à Tok&Stock não serão mais tão divertidas quanto eram na sua infância, já que a novidade é que agora você fica mais pobre cada vez que vai lá (e também talvez fique mais envergonhada porque quebrou um porta-retrato e foi cercada por seguranças. Pois é. Acontece). As visitas ao supermercado então…É muito possível que você se pegue voltando para casa carregando produtos chatos como lixeira, vassoura ou detergente e pensando que poderia estar investindo esse dinheiro em coisas muito mais emocionantes.

Mas faz parte. Todas essas pequenas chatices cotidianas são parte do sonho sendo realizado, e é preciso ter isso em mente. Quem decide morar sozinha tem que ter essa ideia bem amadurecida – e ajuda se tiver uma atitude mais madura também. Se não tiver, vai aprender a ter. Pode ser que você sinta que amadureceu 20 anos só no primeiro mês na sua nova moradia. Faz parte.

Depois de passado o susto inicial, a vida começa a se ajeitar e você passa a se ajeitar à nova vida. Arrumar a cama de manhã: pode ser ótimo, pode ser que você não esteja a fim. Levar o lixo para fora: pode ser agora, pode ser só mais tarde. Organizar seus livros: pode ser assim, pode ser assado, pode deixar tudo no chão e pensar nas possibilidades. Pode tudo, desde que você arque com as consequências. Foi uma das maiores sensações de empoderamento que eu já senti.

Por isso que eu recomendo morar sozinho pra todo mundo, se puder, nem que for por pouco tempo. Morar com a família é fundamental, morar com amigos é divertido, morar com o namorado/marido é uma delícia, acredito em tudo isso. Mas morar sozinha te deixa completamente controle da sua vida. Like a boss.

Se ainda não te convenci, aqui vai uma pequena lista de prós e contras de morar sozinha:

Prós:

– Não precisa usar calças.

– Não precisa usar roupa nenhuma, na verdade, né

– Não precisa manter um visual apresentável se não estiver a fim

– Pode beber tudo direto da garrafa e tomar sorvete direto do pote

– Pode ter a decoração do seu jeitinho ❤

– Pode convidar quem você quiser para sua casa e não ter que dar satisfações em geral

– Se você é introvertida, seu alone time pode ser all the time =)

Resumo: pode fazer tudo o que quiser e não precisa fazer nada que não quiser.

Contras

– Tem que pagar contas.

– Tem que pagar contas. De novo, porque são muitas e sempre aparece uma ou outra inesperada.

– Se você tem um bichinho de estimação, dói pensar que ele sempre ficará forever alone mesmo quando você não estiver em casa.

– Às vezes sobra comida e comida estraga, porque afinal você é uma só e as porções de alimentos vendidas no mercado por vezes são muito grandes.

– Dá um trabalho do inferno fazer mudança. E você vai esquecer alguma coisa, sempre.

– Se você é extrovertida, pode dar uma sensação ruim por não ter ninguém pra falar e contar como foi o dia.

– Se você tem pavor de insetos, pode ter acessos de paranoia achando que tem um deles te perseguindo ou crises de terror ao ter que enfrentá-los sem ajuda alguma.

Resumo: tem que reservar um dinheiro para dedetização porque bicho horroroso pela casa não. Por favor, não.

E tem que ser adulta, né. Mas vai por mim: se tem uma coisa boa de ser adulta, essa coisa é a liberdade de morar sozinha e tomar conta da sua própria vida.

Pode dançar loucamente pela casa sim

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s